11.4.13

O "busão" à R$ 3,00 e R$ 3,40 e o piracicabano cada vez mais ferrad(T)o!!

Fonte da foto: Jornal de Piracicaba (JP)
A defesa da tarifa abusiva de R$ 3,40 pelo ex-secretário de transporte de Piracicaba, o qual ainda desdenhou das manifestações populares contra o reajuste, demonstra que o atual governo não voltará atrás da medida. E para isso conta com a maioria na Câmara, os quais vergonhosamente já rejeitaram audiência pública sobre o assunto. Com isso fica cada vez mais evidente como muitos dos edis não gostam da participação popular, a não ser quando é de militante do partido governante (PSDB) que até nos jornais tenta defender o indefensável ou de jornalista chapa-branca e puxa-saco que destila o ódio sectário e partidário contra aqueles que contestam seus chefes.
O ex-secretário citou a área total de Piracicaba, que segundo o IBGE é de  1.378,501 km2, dando a impressão de que todo esse perímetro é coberto pelas linhas de ônibus. Mas o perímetro urbano, onde roda a maior parte da frota, é bem menor que isso, pois segundo a Wikipédia é de 31,5733 km².
O prefeito Gabriel Ferrato (PSDB) se reuniu com alguns representantes do movimento "Pula-Catraca" só para fazer pose de democrático, mas não cedeu em nada. Ele diz que o movimento passou dos limites e que é político e não técnico, mas todo movimento popular é político. É a política que passou dos limites e deixou o preço chegar nesse absurdo e fez o transporte público ser relegado das prioridades das políticas públicas da cidade. Isso que é praticamente o mesmo governo que está no terceiro mandato!
Até agora o tal "estudo" sobre as tarifas encomendado a USP não foi divulgado. Mas, quem é que está fazendo o tal "estudo" realmente?
O prefeito tem que entender que o problema da alta do transporte público não é somente técnico e político, mas também social. O preço dessa nova tarifa pesa muito no salário dos trabalhadores. Logicamente que Ferrato, seus secretários milionários e os abastados vereadores não sabem o que é isso. Por parte da sociedade piracicabana, há aqueles que não estão nem ai também, pois nunca sequer usaram o transporte público da cidade e por isso Ferrato e cia. os representa. Mas não representa a maioria que tem que usar o ônibus ruim, mal conservado, com horários esdrúxulos e mal feitos e muito caro. 
A adesão aos protestos comandados pelo "pula-catraca" está tendo uma boa participação de estudantes, o que denota uma politização que é salutar para a democracia na cidade. Agora, principalmente depois dessa reunião, a prefeitura começará a "engrossar" contra o movimento e pode até apelar para a repressão. Aliás, a coerção já começou, pois a prefeitura fez banners e cartazes para orientar a população a não pular a catraca em tom até ameaçador e colocou a polícia para barrar os manifestantes na sexta-feira (05/04/2013).
Cartaz coercitivo contra a população
Fonte da foto: JP
Ato proibido no dia 05/04/13
Fonte da foto: JP
É por isso que boa parte dos usuários de ônibus não toma partido e não se junta aos protestos. A maioria é contra o aumento e concorda com as reivindicações dos manifestantes, mas tem medo de protestar. Isso vem da cultura violenta de repressão a movimentos populares que se intensificou no Brasil no período da ditadura militar e que perdura até hoje. E a prefeitura ainda destaca no cartaz que é crime pular a catraca, inibindo mais ainda a participação do cidadão.
No Brasil, o povo (geralmente os pobres) que depende de serviços públicos essenciais como o transporte público tem que fazer manifestações e muito barulho para ser ouvido e chamar atenção para o problema. Já os ricos e poderosos não precisam disso, pois já possuem influência direta sobre a classe política e tem os grandes meios de comunicação como seus porta-vozes. 
Aqui em Piracicaba não é diferente, mas felizmente está mudando e muitas pessoas estão perdendo esse medo de se expressar. Acredito que depois de quase 8 anos de letargia sob o "barjismo" a população começou a enxergar que a cidade não é aquele paraíso propagandeado através das "obras" de trânsito, os quais são direcionados para o transporte individual. O movimento Reaja Piracicaba teve um papel importante nisso e agora está havendo mais manifestações reivindicatórias na cidade. O "pula-catraca" é só mais um e espero que não pare por ai. 
Juventude se politizando e se manifestando em Piracicaba!
Fonte da foto: JP

Enterro simbólico do prefeito Gabriel Ferrato
Fonte da foto: JP




Share/Bookmark

2 comentários:

Juan Sebastianes disse...

Ontem(13/4), na Conferência Municipal da Cidade, foi aprovada a proposta: "As isenções na tarifa do transporte coletivo deverão ser custeadas pelo Orçamento Municipal e não pelos demais usuários desse transporte"; pois muito mais justo que os usuários dos ônibus (de baixo poder aquisitivo) pagarem pelas isenções de idosos, portadores de deficiências, estudantes,... é isso ser pago pelos recursos advindos de todos os tributos recebidos pelo Município. Estudo feito a pedido do vereador Pulo Camolesi mostrou que só com essa medida a tarifa poderia abaixar para R$ 2,28, o que seria muito mais coerente com as possibilidades dos usuários e estimularia bastante um aumento no uso desse transporte, podendo até exigir mais ônibus/horários, assim estimulando ainda mais seu uso... Isto também ajuda a melhorar a mobilidae de que usa carro, moto,..., pois descongestiona o trânsito.
É oportuno ainda lembrar que as empresas de ônibus recebem da Prefeitura por km rodado. Assim as frequentes expansões do Perímetro Urbano, aprovadas pela Câmara a pedido do Prefeito, além de desrespeitarem o Plano Diretor e parecederes do Comdema e Comder, criam loteamentos mais distantes e trajetos mais longos para os ônibus, acarretando aumentos da tarifa de ônibus, que o povo geralmente não entende. O mesmo ocorre com loteamentos rurais ILEGAIS. Tudo isso só interessa aos interesses dos especuladores imobiliários.
Juan Sebastianes (AMAPIRA)

Beto - J.H. Venturini disse...

Oi Juan!!!
Q bom q foi aprovada essa proposta, pois é muito mais coerente. Lógicamente q precisa melhorar tb urgente a logística desses ônibus, pois horários péssimos e frota velha não dá mais.
Será q não há outro modelo d concessão ao invés d pagar por Km rodado?
Os especuladores imobiliários tomam conta d Piracicaba faz tempo, pois além disso q vc citou, olha como o preço dos imóveis está alto!! Absurdo total, pois encarece ainda mais o custo de vida na nossa cidade.
Abs