26.6.13

As manifestações do Brasil e Piracicaba e seus reflexos nas políticas públicas.

Alguns dias atrás escrevi no Jornal de Piracicaba (JP), como está destacado abaixo, sobre a imposição goela abaixo dos piracicabanos de uma das maiores tarifas de ônibus urbano do Brasil feita pelo prefeito Gabriel Ferrato (PSDB).
Agora, depois da pressão popular que houve no país todo, Ferrato resolveu voltar atrás e propôs a tarifa a R$ 2,80 no cartão TIP e R$ 3,00 a bordo. Continua caro, mas houve um avanço considerável por parte do movimento que encabeçou os protestos que foi o Pula-Catraca.
Na quinta-feira (20/06/13) passada houve uma enorme manifestação aqui em Piracicaba, onde o que prevaleceu foi a reivindicação da revogação da tarifa absurda de R$ 3,40. Embora muita gente foi por motivos diversos e até causas diferentes e antagônicas, a quantidade de pessoas surpreendeu até o fim do trajeto da passeata. Tinha também o pessoal do movimento Reaja Piracicaba que atingiu 20 mil assinaturas para projeto de lei que revoga o aumento vergonhoso de 66% nos salários dos vereadores de Piracicaba. Aliás, foi ridículo a atitude desses "nobres edis" ao cancelar a sessão desse dia com medo das manifestações e também para inibir o pessoal do Reaja de discursar. Essa câmara é uma vergonha para Piracicaba, pois os mesmos demonstram há muito tempo que não suportam a participação popular, tanto que colocaram vidros para separa-los do público dentro do próprio plenário. É ridículo a classe política tacanha que Piracicaba possui. Ainda sobre os protestos de quinta aqui em Piracicaba, pena foi no final, onde alguns pivetes se aproveitaram e promoveram um quebra-quebra em lojas perto do terminal central e as saquearam. Foram cenas tristes de se ver, mas que não tinham nenhuma relação com o movimento de redução das tarifas.

Já as recentes manifestações que sacudiram o Brasil nesses últimos dias tiveram como aspecto positivo mobilizar pessoas que nunca foram para as ruas ou que não eram simpáticas a protestos e conseguiu fazer todas as esferas de governo do país a finalmente ouvi-los em alguns pontos. O principal, por enquanto, foi a redução das tarifas de transporte público no país, que aqui em Piracicaba veio tardiamente e ainda é pouco. Parte do povo pode ter “acordado”, mas ainda é algo que é demonstrado de maneira difusa nas manifestações. Integrantes de movimentos sociais e de algumas classes de trabalhadores sempre estiveram acordados reivindicando melhorias e mudanças pontuais e estruturais no país. A violência policial foi finalmente destacada na imprensa, a qual oportunisticamente passou a apoiar os protestos depois de criminaliza-los no início, como sempre fez em relação a manifestações populares. Os interesses da grande imprensa brasileira nessa mudança também tem certa manobra política para jogar o jogo político das eleições do ano que vem. O aspecto negativo foi que fascistas e golpistas saíram do armário pra tentar carona nos protestos. Inclusive na seção de cartas do JP, teve um exemplo emblemático desse tipo, onde o cidadão diz que a solução é acabar com partidos, principalmente o que está no governo federal, e ainda clama pelo golpe das forças armadas para tomar o poder. 

É de dar nojo ler uma coisa dessas! Típico discurso estúpido e ignorante de reacionários que vivem em uma eterna paranoia e que quando saem as ruas são perigosos ao insuflar o confronto sectário. Aliás, em São Paulo, houve agressões e perseguições aos militantes de esquerda onde houve até queima de bandeira de partido por parte dos fascistas. É algo que muitos minimizam mas infelizmente pode virar algo maior e pior. 

Por isso, as manifestações que ocorreram e ainda ocorrem pelo Brasil precisam ser bem analisadas para não cair na cilada midiática de querer manipular para fins políticos/eleitorais. Também é bom observar que agora que muitos protestos estão saindo da periferia das cidades para o centro, o enfoque dessa mesma mídia já começou a mudar também, onde o trânsito voltou a ser a prioridade nas reportagens.

Share/Bookmark

8 comentários:

Bruno Peron disse...

Beto, você cita, no último parágrafo do seu texto, o risco de a imprensa hegemônica orientar os rumos dos protestos no Brasil. Quando há oscilação de demandas populares, é o que pode acontecer. Alguém se apropria dos acontecimentos. O melhor não é o que foi, mas o que está por vir. Por isso os protestos não podem esfriar, pois apenas incitaram a onda de mudanças.

Beto - J.H. Venturini disse...

Isso é verdade Bruno, pois as manifestações deveriam se ampliar p/ atender demandas verdadeiramente populares e provocar mudanças, sendo q algumas poucas ja ocorreram. É a democracia participativa d q falam. Alguns analistas mais a direita na mídia já alertam p/, segundo eles é claro, o risco d se tornar uma Venezuela.Como eles ñ sabem o q ocorreu e ocorre por lá jogam isso p/ tentar alienar os ingênuos. Mas só haverá mudanças se o povo continuar pressionando nas ruas por isso.
Abs

Diablo Camy disse...

O povo precisa continuar nas ruas e precisa se informar mais também para não cair em ciladas de oportunistas, que é o que mais tem.

Beto - J.H. Venturini disse...

Com ctza Diablo Camy! O povo tem q permanecer na rua fazendo manifestações frequentes. Aqui no estado d SP finalmente está havendo um movimento contra a quantidade e os preços abusivos e extorsivos dos pedágios. Que continuem assim.

carlos disse...

Ei cara, vc vai entregar marmitinha na boca do zé dirceu? hihihi

Beto - J.H. Venturini disse...

Ei Carlos, vou entregar uma marmita na boca da sua mãe, seu reaça de merda!

Anônimo disse...

temos que continuar com os protestos.. principalmente pelos gastos excessivos e criminatorios com estádios de futebol... o governo precisa de uma vez por conta entender o que o povo precisa... temos que ir bater na porta do lula que inventou esta historia..

Beto - J.H. Venturini disse...

Protestos devem continuar sim, mas tem q ter foco. Não é protestar por protestar contra o governo. Lembre-se q nessa empreitada tem outras atores q quase nunca são lembrados como as prefeituras, governos de estados e a dona Rede Globo. A Globo é contra o governo, pq o mesmo é do partido q eles odeiam. Mas no caso da Copa ai eles abrem exceção pra dar uma aliviada nessas questões. O Lula não inventou nada, pois isso vem de antes e todo país almeja isso. O problema não é ter Copa e Olimpíadas aqui, mas sim se vai trazer retorno positivo principalmente para os lugares q vão receber esses eventos.